Dicas de poupança eficiente

28 Setembro 2022

Qualquer que seja a época, se de crescimento ou de contração económica, todas as alturas são boas para se poupar – claro que haverá sempre momentos em que é necessário abdicar aquilo que se deseja ter em função do que é vital para o bem-estar do agregado familiar, e outros em que terá mais folga financeira.

E independentemente de ter mais ou menos rendimentos, é conveniente assegurar a existência de um fundo de emergência ou um pé-de-meia – e para isso, é importante criar hábitos de poupança. Como? Siga as nossas dicas.

  1. Comece pela gestão da economia doméstica

É nos consumos do dia a dia que grande parte do orçamento familiar é gasto: a alimentação e o stock da despensa, o uso dos eletrodomésticos e outros aparelhos, como a televisão, a box, o computador, a higiene pessoal e da casa, entre outros. Por isso, a primeira ação a tomar para aumentar as suas poupanças é saber exatamente aquilo em que gasta o seu dinheiro – anote todas as despesas e gastos que faz, e seja rigoroso. Assim vai perceber que consumos terá de eliminar, reduzir ou manter para ter margem para ter o orçamento familiar equilibrado e poupar.

  1. Ajuste os hábitos de consumo da família

Como resultado de se começar a analisar e controlar as despesas, os gastos e os rendimentos da economia familiar, vem a necessidade de ajustar os hábitos de todos lá em casa. Eis alguns exemplos:

  • fazer lista de compras com base nas refeições semanais para evitar desperdiçar alimentos;
  • ficar atento às promoções para repor o stock da despensa;
  • não deixar as torneiras abertas por muito tempo e evite duches demorados;
  • desligar as luzes se não estiver na divisão;
  • optar por lâmpadas económicas;
  • desligar os aparelhos elétricos que estão em stand-by e retirar os carregadores das tomadas;
  • escolher eletrodomésticos e aparelhos energeticamente eficientes;
  • preferir marcas brancas, desde que não se comprometa a qualidade de produtos;
  • comer o pequeno-almoço em casa;
  • preparar com antecedência, e sempre que possível, as refeições da semana: poupa eletricidade ou gás, poupa água da cozedura dos alimentos, entre outras vantagens;
  • evitar almoçar fora todos os dias da semana, preparando marmitas para levar para o trabalho;
  • reaproveitar embalagens de plástico e de vidro para guardar ou transportar alimentos, água, sumos, etc.; reutilizar sacos de plástico (dos supermercados, de congelação, das sandes);
  • reaproveitar e reutilizar tudo o que for possível;
  • outros.
  1. Envolva toda a família

Como já mencionámos noutro artigo, é essencial envolver toda a família na gestão familiar: dos seniores aos mais novos, todos devem de participar das responsabilidades e tarefas, e contribuir para os objetivos e as finanças da família. Só assim se consegue que a mudança de hábitos e o controlo de despesas seja realmente eficiente e gere poupança.

  1. Tenha um porquinho mealheiro

Desengane-se quem considera que os mealheiros são coisas para crianças. Numa era em que tudo é digital, inclusive as compras e o pagamento de serviços, o dinheiro quase não se vê e torna-se mais fácil de gastar.

Para além de servir de depósito, a função do mealheiro é de dar "peso e forma" à poupança e, assim, induzir um sentimento de pertença – torna-se, então, mais difícil de o gastar.

O mealheiro (que pode ser um simples pote de vidro) vai ajudá-lo, a si e a toda a família, a sentir-se motivado a alimentar as poupanças.

  1. Renegocie contratos de serviços, seguros e crédito habitação

Na altura em que contratou o fornecimento de bens e serviços as tarifas cobradas seriam, certamente, as mais adequadas a si e à sua família, mas é possível que atualmente o mercado ofereça opções mais vantajosas. Fale com os seus fornecedores (de internet e telecomunicações, de eletricidade e gás, e outros), solicite alternativas e renegocie tarifas e/ou benefícios. Faça o mesmo com as apólices e fale com o seu mediador de seguros.

E, claro, não deixe para trás o crédito à habitação e pondere transferir para um banco que lhe ofereça taxas e condições mais favoráveis. Fale já com um gestor SI Crédito e comece hoje mesmo a poupar na prestação da sua casa.

  1. Multiplique as poupanças

Ter um pé-de-meia ou um fundo de emergência é o objetivo principal de se fazer poupanças dia após dia e de ir juntando as economias numa conta poupança, ao longo do ano. Mas melhor ainda é se puder multiplicá-las. Como?

Destinar parte dessas economias para aplicar em diferentes opções de investimento, como títulos do tesouro, fundos de investimento, contas poupança reforma, entre outras. É uma questão de ponderar o risco com o retorno do dinheiro aplicado.

Se gostou das nossas dicas e quer saber mais sugestões para gerir de forma sustentável as suas finanças, venha falar com a nossa equipa de gestores SI Crédito – temos a solução ideal para si.

Imagens © Direitos reservados